Tiago Silva | Equipe de Balneário Piçarras é a campeã do torneio de basquete em cadeira de rodas
16922
post-template-default,single,single-post,postid-16922,single-format-standard,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0.2,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,transparent_content,qode-theme-ver-13.0,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.4,vc_responsive

Equipe de Balneário Piçarras é a campeã do torneio de basquete em cadeira de rodas

Todo mundo já ouviu, alguma vez na vida, o ditado popular: “O QUE IMPORTA É COMPETIR”, e, com certeza, foi esse o lema dos atletas das quatro equipes que participaram do torneio de basquete em cadeira de rodas da Virada Social 2018.
A competição contou com a participação times de Florianópolis, Penha, Balneário Piçarras e Caçador. Cada atleta trouxe, junto com sua técnica e treinamentos, uma história de superação.

Ricardo Luiz Decker, de 41 anos, morador de Biguaçu, sofreu um assalto há 1 ano e 8 meses, foi atingido por um tiro nas costas, que o levou a perder os movimentos das pernas. Depois de seis meses acamado, e de todo processo de reabilitação, Decker participa faz três meses do time de basquete em Cadeira de Rodas da Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos (AFLODEF).
“Para mim foi um uma fase muito difícil, durante o meu tratamento fiquei sabendo desse time e resolvi conhecer e hoje posso dizer que, depois da minha família, o basquete é a minha maior motivação”, confessou Ricardo, concentrado, assistindo ao jogo que acontecia no momento.
Outro atleta que chamou a atenção foi o pequeno Wesley Ribeiro, de oito anos, que é acompanhado pela Aflodef desde muito cedo e que nos últimos dois anos compõe o time da entidade. No meio da quadra, o menino mostra um sorriso fácil e toda a sua habilidade.

Para a coordenadora do time, Jucilene Homem, a Virada Social é uma iniciativa importante, pois proporciona a inclusão, a valorização do atleta e mostra para as pessoas com deficiência as possibilidades que elas têm fora de casa.

Além do Basquete, o público pode conferir jogos de handebol e goal ball da Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), futsal com a equipe da Associação Catarinense da Pessoa com Deficiência Visual (ACPDV) , e o jiu jitsu, com a equipe da Associação Catarinense de Integração do Cego (ACIC).

A Virada Social teve cinco dias de programação intensa. Além das competições esportivas, tiveram apresentações artísticas, shows e muita diversão. O evento contou com o patrocínio da Engie, Intelbras, Orsitec, Celesc e Beira Mar Shopping.

No Comments

Post A Comment